Categoria: Filhos do Catalão

Filhos do Catalão

Memórias de um Peregrino – TIPOS DE PEREGRINOS

Foi na Sierra del Real, montanha próxima ao Cebreiro, a primeira vez que vi peregrinos a cavalo. Passaram esguios e rápidos, orgulhosos de seus animais, demonstrando pouquíssima identificação com os caminhantes. Sequer dispensaram-me um Buen Camino. Claro, isso não significa que fazer a peregrinação a cavalo não seja bom ou válido. Mas é uma experiência peculiar. Somente em Tricastela, já na Galícia, pude conversar um pouco com os peregrinos de botas, que também lá se hospedavam, num grupo de seis cavaleiros. O albergue da localidade dispunha de área de pastagem, própria para recebê-los, particularidade que ainda não conhecera. Esse fato levou-me a crer que eles percorrem rotas distintas das utilizadas pelos...

Filhos do Catalão

Memórias de um Peregrino – ENFRENTANDO O CEBREIRO

Enquanto percorria as trilhas da montanha, surpreso, vi um idoso casal preparando o solo para o cultivo, num platô da serra, com o auxílio de antiquados arados, puxados por bois. Encontrar, na Europa, aquela prática medieval era uma coisa que eu nunca poderia imaginar, não obstante seja ainda comum nas regiões mais pobres do Brasil. Viviam isolados no pequeno pueblo próximo à lavoura, onde parece que o tempo parou, impedindo o seu progresso. Após o platô, descendo a serra por uma encosta com forte declive, a trilha retornou ao vale. Durante a descida, quase fui surpreendido por um grupo de ciclistas que trafegava em disparada...

Filhos do Catalão

Memórias de um Peregrino – SÓ NÃO CONTO PRA MIM MESMO

Ainda na subida da serra, detive-me também sobre os conflitos interpessoais, muitas vezes decorrentes de uma equivocada visão das relações: Se identifico nos outros somente o que também tenho, por que tanto me preocupam os defeitos dos demais? Tenho poucos amigos ou não sou amistoso? Afastam-se de mim ou os espanto? Conspiram contra mim ou sou inseguro? São infiéis ou os marginalizados? Compartilho ou escondo? Isolam-me ou os isolo?

Filhos do Catalão

Festa do Rosário de Catalão – Recordações Fernando Goulart

Vai ser difícil dormir. Durante toda a minha vida me lembro desta madrugada como o anúncio de dias de fé, religiosidade, louvores, suor, caixas roucas gritando por bênçãos à Nossa Santinha do Rosário. Quando criança a insônia era por medo. Sim, eu morria de medo, não dormia ansioso, no aguardo das primeiras batidas dos congos, vindas de longe, minha Catalão ainda pequena e os sons chegavam nítidos dos quatro cantos... Eu tinha verdadeiro pânico, meu coração disparava e eu corria para a cama dos meus pais em busca de abrigo e proteção. A aproximação aumentava o desespero e quando os ternos passavam em frente minha porta meu coração acompanhava o compasso das caixas e parecia que ia explodir a qualquer...

Filhos do Catalão

GLICÉRIO COELHO – UM PEÃO DE BOIADEIRO Por Paulo Hummel Jr

O longo período do tropeirismo, iniciado ainda na época de colônia, é caracterizado pela movimentação de gado e mercadorias por meio de tropas (burros, mulas e cavalos), basicamente para atender a mineração e a expansão da pecuária. Deixou profundas marcas no povo brasileiro e foi nesse cenário que se desenvolveu a figura do peão de boiadeiro, profissional encarregado da condução das boiadas, personagem recorrente em nossa cultura. Em nossa região, em Catalão, a partir de 1918, a ferrovia facilitou um pouco o transporte do gado, mas os ramais ferroviários eram escassos e a maior parte da movimentação dos rebanhos continuou a ser feita pelos peões...

Filhos do Catalão

Memórias de um Peregrino – A FORÇA DO APEGO

Aquela caminhada solitária entre as serras, numa manhã nublada e com forte nevoeiro, embora exigisse um intenso esforço físico, ofereceu-me os instantes de maior introspecção da viagem. Momentos de muita lucidez, aceitação, humildade, compaixão e amor. Em minhas reflexões, pude fazer um paralelo da minha vida com os principais problemas encontrados no Caminho, procurando ver suas razões, seus significados e suas mensagens. Refleti como nunca sobre os males provocados pelo apego, a mais didática lição ensinada na viagem. No Caminho, apesar da mochila representar uma carga expressiva, responsável por cansaço, dores e insegurança, quase todos relutam, enquanto podem, em eliminar o excesso de peso. Apesar...

Filhos do Catalão

Memórias de um Peregrino – O CASTELO

Na manhã seguinte, passei em Ponferrada, situada apenas 3,5 km após Molinaseca. É uma grande cidade, com cerca de 100 mil habitantes, bonita e civilizada. Deve seu nome a uma antiquíssima ponte, que tinha proteções laterais de ferro (do latim pons ferrata), construída sobre o Rio Sil, para ajudar aos peregrinos que demandavam a Santiago. A cidade conserva em excelentes condições o Castillo del Temple, uma colossal fortaleza construída no século XII. Foi doada pelos Reis de León aos Templários, que dominaram toda aquela região e, a partir do castelo, davam refúgio e proteção aos peregrinos. Extinta a Ordem, os Caballeros del Temple morreram defendendo...

Filhos do Catalão

Mário de Mendonça Netto – Um grande político e homem generoso, sereno, corajoso e brilhante

Natural de Catalão, Goiás, Mário Mendonça Netto nasceu em 26 de abril de 1930. Filho de Maria Isabel de Mendonça Netto e João Netto de Campos (Prefeito de Catalão e Deputado Estadual, 1951-1955 e 1975-1979), se mudou para São Paulo com seus quatro irmãos aos 12 anos de idade para estudar o ginásio no colégio Mackenzie. Foi colega e amigo pessoal dos irmãos Gilda Cardoso e Fernando Henrique Cardoso e na ocasião participou do “Movimento Petróleo é Nosso” fundado pelo General Leônidas Cardoso, pai de seus amigos e que deu origem a Petrobrás. Formado em advocacia pela Faculdade de Direito, Largo de São Francisco, USP, São Paulo, se tornou advogado e mais tarde agro pecuarista em Catalão. Inspirado nos movimentos que participou...

Filhos do Catalão

A Música Maravilhosa de João Abrão

Catalão possui dentre seus filhos, pessoas que se destacaram por aquilo que de melhor fizeram em suas vidas. Na literatura, na política, na diplomacia, no ensino e na música Filho de Nicolau Abrão e Samira Calixto Abrão, o músico João Abrão nasceu em Catalão, Goiás, no dia 16 de julho de 1939. Desde pequeno demonstrava pendores musicais. Com apenas quatro anos de idade já tocava gaita com grande facilidade e fascinação. Aos nove, iniciou o estudo de violino com o saudoso professor, maestro e compositor, Frederico Campos, muito querido em nossa região. Ainda jovem João Abrão foi estudar fora de Catalão, pois o diretor do Colégio dos Padres Franciscanos, depois Colégio Paroquial São Bernardino de Siena e hoje Colégio Aprov,...

Filhos do Catalão

Memórias de um Peregrino – A CRUZ DE FERRO

Tomei o café-da-manhã no próprio albergue, pertencente à Associação Saint James (designação inglesa para São Tiago), uma organização de voluntários que mantém o refúgio e oferece essa refeição a seus hóspedes, gratuitamente. Disposto e com o pé melhor, tive um bom desempenho na subida da montanha, cujo cume fica a 1.517 m de altitude e se constitui no ponto mais alto do Caminho, onde tirei foto, auxiliado por um casal de austríacos. Na subida da serra passei por vários locais muito interessantes, como Foncebadón, o famoso "pueblo" abandonado. Na verdade, o povoado tem umas poucas casas habitadas e inúmeros cães, que não me molestaram, apesar...