Categoria: De um passado glorioso desperta… Catalão vem viver o esplendor!

De um passado glorioso desperta... Catalão vem viver o esplendor!

PERCALÇOS DE UMA VELHA CIDADE

Quem nasceu em Catalão, ou escolheu Catalão para morar, é um privilegiado. Ainda mais agora, em 2024, quando o lugar completa 165 anos de cidade e 302 anos de existência. Motivos para se orgulhar não faltam. Principalmente ao constatar que, ousadia, coragem e independência fazem parte da formação do nosso povo. Catalão, desde o início, esteve à sombra da história oficial. Temos poucas referências de nossa origem e dos primeiros tempos. Nem mesmo o pavoroso massacre de indígenas em nossa região foi devidamente registrado. O lugarejo esteve praticamente fora dos acontecimentos de destaque no contexto do estado de Goiás. No começo, enquanto todos procuravam ouro, Catalão se voltou para o trabalho cotidiano na agropecuária. Aqui não...

De um passado glorioso desperta... Catalão vem viver o esplendor!

Réplica da Cruz do Anhanguera é instalada no seu local de origem na região rural de Catalão

Os moradores de Catalão resolveram fazer uma réplica da Cruz do Anhanguera, que atualmente está na cidade Goiás, e, colocaram no mesmo lugar de onde a original foi retirada – na região da Mumbuca, há 46 km de Catalão. Centenas de moradores, autoridades políticas e historiadores participaram do evento que aconteceu nesse final de semana. A réplica tem cerca de 4 metros, o mesmo tamanho da original. Segundo essa tese, o monumento marca a passagem do bandeirante Bartolomeu Bueno da Silva, o filho do Anhanguera, pela região sul do estado, e deveria estar em Catalão. “Foi em 1722 na região da antiga Fazenda dos Casados que foi colocada a Cruz do Anhanguera, marcando sua passagem pela região onde hoje é...

De um passado glorioso desperta... Catalão vem viver o esplendor!

A Voz do Sudeste – Parabéns Catalão pelos seus 127 anos

O Blog da Maysa Abrão registra aqui os anúncios publicados no Jornal A Voz do Sudeste – ANO I – Nº 18 – Organização José Candido – Catalão, 5 a 20 de agosto de 1986 – Página 7 – Edição Especial Catalão, 127 anos.   FOTO: Henrique Santillo FOTO: Onofre Quinan - Governador de Goiás em 1986 FOTO: Irapuan Costa Junior - Deputado Federal FOTO: Adalcino David de Souza - Prefeito Municipal de Davinópolis, Goiás em 1986

De um passado glorioso desperta... Catalão vem viver o esplendor!

Foto memorável – Jorge Democh

Olha que foto memorável: o senhor Jorge Democh atravessando a rua de frente a sua loja. Nessa imagem dá para ver a loja do Naim, logo abaixo tinha uma fábrica de picolés e sorvetes do Sr Democh, onde foi meu primeiro emprego, (um menino vendedor de picolés). Lembro de manhã ele dava um reforçado lanche para a meninada e tinha adultos também. Velhos tempos e que nos dão muita saudades! Por:

De um passado glorioso desperta... Catalão vem viver o esplendor!

MULHERES NO CATALÃO DE ANTIGAMENTE

Durante muito tempo, a mulher esteve restrita à cozinha e aos quartos da casa, permanecendo na obscuridade por mais de dois séculos em Catalão. Mesmo na historiografia do município, sua presença constou, quando muito, apenas nos rodapés de livros. Tal fenômeno se deu, de um lado, por força das próprias instituições. A mulher somente pode votar e ser votada a partir da constituição de 1946, quando Catalão completava mais de um século de exercício eleitoral. De outro lado, havia um código de conduta social pregando que, a mulher não podia se meter em assuntos políticos, devendo ser obediente aos pais e ao marido, com a obrigação de se mostrar dócil, contida, meiga e sempre falando baixo. No todo, regras de...

De um passado glorioso desperta... Catalão vem viver o esplendor!

Disputa Pela Cruz Dos Bandeirantes

Os objetos históricos têm valor incalculável e geralmente são disputados por colecionadores e museus. Tanto que, o governo de São Paulo ofereceu uma quantia fabulosa pela "Cruz do Anhanguera", exatamente há cem anos, objetivando resguardá-la, para visitação, no museu do Ipiranga. A proposta, na época, não foi aceita pelo governo de Goiás. Contudo, ao invés de preservar a valiosa relíquia, colocaram-na em um pedestal, sob chuva e sol, por mais de 80 anos, até ser arrastada por uma enchente do rio Vermelho. Hoje os restos da cruz estão encostados em uma parede de museu daquela cidade e sendo reclamados, mais uma vez, por Catalão, município de onde foi retirada de forma compulsória, através de um decreto...

De um passado glorioso desperta... Catalão vem viver o esplendor!

O Majestoso Prédio da Fundação Cultural Maria das Dores Campos

O prédio que abriga a Fundação Cultural de Catalão está em restauração. Foi construído na época do Estado-Novo, por iniciativa do governo federal, para sediar o Grupo Escolar 10 de Novembro, nome escolhido para relembrar a constituição, promulgada por Getúlio Vargas, em 10 de novembro de 1937. O Estado-Novo foi considerado, por muitos, como um regime autoritário, instituído pelo presidente Vargas para viabilizar sua permanência no poder. Um governo de nacionalismo exacerbado, instaurado de maneira arbitrária, sem o conhecimento e apoio da população. A educação, de um lado, era vista como forma de propaganda política e de afirmação...

De um passado glorioso desperta... Catalão vem viver o esplendor!

A Vida Atribulada de Ricardo Paranhos

Uma das avenidas mais conhecidas de Goiânia, no setor Marista, leva o nome do catalano Ricardo Paranhos. Mais do que uma simples avenida, a Alameda Ricardo Paranhos se tornou um dos sofisticados pontos que movimentam a cidade, constituindo bela vitrine urbana no cenário da capital. Com pista de caminhada, academias de rua e bastante arborizada, a alameda virou endereço certo para opções de gastronomia, ponto turístico, exibindo em suas imediações, um setor imobiliário de alto padrão. Poucos goianienses sabem, entretanto, que Ricardo Paranhos, além de político, foi um refinado intelectual, patrono na Academia Goiana de Letras e o príncipe dos poetas catalanos. Quando faleceu, em 1941, Goiânia sequer havia sido inaugurada...

De um passado glorioso desperta... Catalão vem viver o esplendor!

VIDA RURAL DE ANTIGAMENTE

Houve um tempo em que o município de Catalão era enorme. Davinópolis, Ipameri, Campo Alegre, Ouvidor, Três Ranchos, Goiandira, Cumari, Anhanguera, Nova Aurora e Corumbaíba eram povoados ou distritos pertencentes a Catalão. Nessa época, a vida era basicamente rural. As pessoas somente vinham à cidade em ocasiões de festas ou para cumprir alguma obrigação nos cartórios. No mais, permaneciam nos lugarejos, roças e fazendas do município. A vida no campo era bastante diferenciada nas grandes regiões do país. Em fazendas de São Paulo, por exemplo, plantava-se café para exportação, primeiramente com mão de obra escrava e depois com trabalhadores europeus assalariados. Nas estâncias do sul...

De um passado glorioso desperta... Catalão vem viver o esplendor!

AS ELEIÇÕES PARA PREFEITO EM CATALÃO

De 1947 para cá, quando começaram as eleições democráticas, Catalão teve 19 disputas eleitorais para prefeito. Os médicos foram vitoriosos na maioria delas, seguidos por empresários urbanos e rurais. Mas, nem todos os eleitos cumpriram o período integral de mandato, por razões diferenciadas, sendo substituídos pelos respectivos vice-prefeitos, que também marcaram presença na administração do município. Verdade que, antigamente, na época da Primeira República, havia eleições para escolha dos Intendentes Municipais até 1930. Mas, o processo não era transparente e, ainda por cima, bastante seletivo. As mulheres, os analfabetos, as pessoas desprovidas, os soldados rasos, por exemplo, não participavam do pleito eleitoral. Além do que, o voto não era secreto e o processo estava fortemente monitorado pelos...