Categoria: De um passado glorioso desperta… Catalão vem viver o esplendor!

De um passado glorioso desperta... Catalão vem viver o esplendor!

Recordações da Academia Catalana de Letras – O Imigrante Nasr Fayad

A Academia Catalana de Letras relembra que, alguns imigrantes estrangeiros gostaram tanto de Catalão que deixaram obras inestimáveis no município. Um deles foi o árabe Nasr Fayad, que construiu um sofisticado palacete, bem no centro da cidade, no início da década de 1930. As primeiras levas de imigrantes, oriundos da Síria e do Líbano, vieram para o Brasil por volta de 1880. Com a implantação da ferrovia Mogiana, o movimento migratório ganhou o sentido de interiorização pelo país. Diferentemente de outras correntes, os sirio-libaneses não vieram para trabalhar em lavouras. Em sua maioria, começaram a vida como mascates e, com o tempo, se tornaram grandes varejistas e industriais. No início do século passado, as colônias árabes de Anápolis e de Catalão...

De um passado glorioso desperta... Catalão vem viver o esplendor!

Registros da Academia Catalana de Letras – CRAC, um dos símbolos inalienáveis da história de Catalão

A Academia Catalana de Letras ressalta que, o Crac é um dos símbolos inalienáveis da história de Catalão, seja como clube social, seja como time de futebol. Em programações festivas, na metade do século passado, o Crac fazia inveja aos maiores clubes sociais do estado. Como time de futebol se destacou em várias disputas regionais, até conseguir participar no campeonato goiano da primeira divisão. Em 1967, a cidade de Catalão literalmente explodiu, quando a sua equipe ganhou o campeonato goiano. Foi considerada a maior e a mais longa comemoração popular de toda a região. A cidade, na época, era bem pequena, com ruas estreitas, a maioria absoluta sem calçamento. A economia do município estava estagnada, ainda sem a presença das...

De um passado glorioso desperta... Catalão vem viver o esplendor!

Registros da Academia Catalana de Letras – A agropecuária em Catalão na década de 1980

A Academia Catalana de Letras ressalta que, Catalão montou um aparato de apoio à agropecuária, na década de 1980, inédito no país. Primeiro, a prefeitura implantou a disciplina Técnicas Agrícolas que foi incluída obrigatoriamente no currículo das escolas rurais do município. A iniciativa se deu em parceria com a Emater, que monitorou o seu conteúdo teórico e prático. Em seguida, o poder público criou a Escola Agrícola Municipal, voltada para apoio e incentivo aos jovens, interessados em trabalhar no campo, formando técnicos em agricultura e pecuária. Até então, os produtores rurais de Catalão ainda tinham uma mentalidade arraigada no conhecimento tradicional herdado de seus pais e avós. Com o ensino de Técnicas Agrícolas e o funcionamento da Escola Agrícola, o...

De um passado glorioso desperta... Catalão vem viver o esplendor!

Recordações da Academia Catalana de Letras – Dona Iayá

A Academia Catalana de Letras recorda que, Catalão teve uma professora muito severa, respeitada e corajosa, que aqui viveu na primeira metade do século passado. Grande parte de seus alunos (médicos, advogados, professores, poetas e escritores) deixou registrada, de alguma forma, a imensa gratidão que tiveram com Dona Iayá. Hoje, o colégio com seu nome, na avenida São João, tem mais de 60 anos de funcionamento e faz parte do patrimônio histórico municipal. Rosentina de Sant'Anna e Silva, a Dona Iayá, nasceu na antiga capital do estado, em 1891, tendo sido contemporânea de Cora Coralina. Era dois anos mais nova que a poetisa, mas devem ter feito juntas os estudos primários, pois Cora registrou lembranças da família de Rosentina, à...

De um passado glorioso desperta... Catalão vem viver o esplendor!

Registros da Academia Catalana de Letras – As celebrações religiosas, comemorações patrióticas e bailes sociais da comunidade catalana

A Academia Catalana de Letras ressalta que, a comunidade catalana sempre gostou de festas, tanto na cidade como na zona rural. Desde antigamente existiam no município - durante o ano todo - várias celebrações religiosas, algumas comemorações patrióticas e muitos bailes sociais. O calendário festivo começava em 20 de janeiro com homenagens a São Sebastião em comemorações na zona rural do município. Logo após, vinha o carnaval na cidade, com o tradicional desfile de carroças alegóricas, acompanhadas de perto pelas bandas de música. Após a Páscoa, ocorriam as quadrilhas juninas no Largo da Velha Matriz, durante todo o mês com Santo Antônio, São João e São Pedro sendo homenageados. Em 15 de agosto, os moradores celebravam N.S. da Abadia, com longas...

De um passado glorioso desperta... Catalão vem viver o esplendor!

Recordações da Academia Catalana de Letras – Transportes urbanos de Catalão desde antigamente

A Academia Catalana de Letras recorda que, os transportes urbanos de Catalão, desde antigamente, estiveram concentrados no Largo da Estação ferroviária. Ali, primeiro estacionavam os carros de boi, principalmente na década de 1930, quando estiveram proibidos de circular pelo centro da cidade. Eram veículos pesados que deixavam profundos sulcos nas ruas estreitas de Catalão além do excremento bovino. Por isso, eram sempre monitorados. Inclusive, na gestão do prefeito Publio de Souza, os carros de boi estiveram sujeitos a emplacamento e ao pagamento de um imposto de circulação. Depois da metade do século, os carroções e as carroças mais leves tomaram conta do Largo da Estação. O fluxo de mercadorias transportadas pelo trem praticamente dobrou com a implantação de um novo...

De um passado glorioso desperta... Catalão vem viver o esplendor!

Registros da Academia Catalana de Letras – Corumbaíba, Goiás

A Academia Catalana de Letras revela que, o município de Corumbaíba situa-se na junção de dois rios: Corumbá e Paranaíba. Daí o nome da cidade, que pertenceu a Catalão por algumas décadas e onde residiu, no final da vida, o escritor Ricardo Paranhos. Tudo começou em 1884, quando uma família de paulistas, proprietária da fazenda Arrependidos, doou enorme gleba de terra para formar um patrimônio, bem próximo ao encontro dos rios Corumbá e Paranaíba. A localidade ganhou o nome de Arraial Novo dos Paulistas e elegeu como padroeiro, com capela erguida, o Bom Jesus da Cana Verde. O arraial, em 1905, foi elevado à categoria de vila com outro nome: Vila Xavier de Almeida. Isto porque, Xavier era um conhecido...

De um passado glorioso desperta... Catalão vem viver o esplendor!

Registros da Academia Catalana de Letras – João Martins Teixeira

A Academia Catalana de Letras relata que, alguns profissionais de antigamente, em razão da ausência de recursos, se tornaram verdadeiros cientistas nas suas atividades. Um deles foi João Martins Teixeira, laboratorista e farmacêutico formado que, sem instrumental e condições adequadas, realizou a primeira transfusão de sangue em Catalão, bem na metade do século passado. Usou uma aparelhagem criada por ele próprio (que funcionou à gravidade) e utilizou o próprio sangue nessa primeira experimentação. Em 1948, João Martins Teixeira havia inaugurado um pequeno laboratório de análises clínicas. Catalão ainda não tinha hospital e, no próprio estado de Goiás, somente haviam laboratórios similares em Goiânia e Anápolis. O desafio da transfusão veio em 1951. A pedido do médico Lamartine Pinto de Avelar,...

De um passado glorioso desperta... Catalão vem viver o esplendor!

Registros da Academia Catalana de Letras – Erosão na área central de Catalão

A Academia Catalana de Letras recorda que, Catalão tinha uma área de esbarrancados muito profunda, bem no meio da cidade. Quem não conheceu o local, jamais poderia imaginar sua extensão e periculosidade. A erosão era secular e tinha cerca de 500.000 metros cúbicos de cratera, impedindo qualquer projeto de urbanização nas cercanias. Era tão profunda que, árvores altas de imbaúba (cerca de 15 metros), nascidas bem no fundo do canyon, nem alcançavam as bordas da cratera. E, isso tudo, bem próximo ao terreno da Santa Casa de Catalão, hospital recém construído na época e inaugurado em 1959. O "esbarrancado da Santa Casa", como passou a ser conhecido, ameaçava engolir qualquer edificação nas proximidades, necessitando de um serviço bastante pesado e...

De um passado glorioso desperta... Catalão vem viver o esplendor!

Observações da Academia Catalana de Letras – Igreja evangélica Assembleia de Deus

A Academia Catalana de Letras observa que, quem passa pela avenida Cristiano Aires não deixa de admirar a imponente sede da igreja evangélica Assembleia de Deus. Aquele templo, inaugurado em 1988, se tornou uma das obras de arquitetura mais notáveis de Catalão. Além do que, a entidade ocupa um importante espaço no universo cristão de nossa região. Em termos globais, muitos defendem que a maior denominação pentecostal do mundo continua sendo a Assembléia de Deus. Essa igreja começou no Brasil em 1911, em Belém do Pará, em pleno auge do ciclo da borracha. Milhares de pessoas estavam concentradas na região, voltadas para a produção e comercialização do látex. Foi quando dois estrangeiros suecos, Gunnar Vingren e Daniel Berg, criaram em Belém...